História foi devidamente celebrada no Oscar, em 2007

“Pequena Miss Sunshine” estreou no Festival Sundance de Cinema lá em 20 de janeiro de 2006. E foi bem recebido pela crítica e o público desde o começo. O longa consegue reunir de uma forma muito feliz algumas características como ser um road movie e também abranger uma grande aventura que dá sentido à trama. Clique aqui para assistir!

Em primeiro lugar é importante ressaltar o elenco que fez o filme e que ganhou notoriedade com o passar dos anos. Steve Carell (Café Society), Abigail Breslin (Zumbilândia: Atire Duas Vezes), Greg Kinnear (Brian Banks: Um Sonho Interrompido), Paul Dano (12 Anos de Escravidão), Toni Collette (Hereditário) e Alan Arkin (O Método Kominsky) representam o núcleo da história.

A família “Hoover” vive no Novo México e é totalmente incomum. “Richard” (Greg Kinnear) é o pai. Ele tenta fazer seu programa de auto-ajuda chamado “9 Passos” um sucesso. Mas, até o momento, passou longe disso. Embora se gabe dele o tempo todo. Seu pai “Edwin”(Alan Arkin) é um maluco total. Foi recentemente expulso do local de idosos onde morava por abusar de heroína.

Veja o trailer de “Pequena Miss Sunshine”: 

A mãe dessa família desfuncional “Sheryl” (Toni Collette) trabalha e ainda lida com todos os afazeres domésticos. Além de estar à beira de uma crise nervosa devido às loucuras da casa. “Frank” (Steve Carell) é seu irmão. Aparentemente bem-sucedido como professor universitário, ele tentou suicídio nos últimos tempos.

Dawyne (Paul Dano) é um adolescente que simplesmente não fala nada. Sim, pois tem a ambição de entrar na Escola de Pilotos das Forças Armadas e segue para isso a filosofia de Friedrich Nietzche. Em contraste com o clima pesado que toma conta da família “Hoover”, temos a pequena “Olive”. Uma garotinha animada e sonhadora. Ela não consegue tirar da cabeça o importante concurso de beleza pré-adolescente chamado “Pequena Miss Sunshine”.

Inesperadamente para todos (pois acreditam que “Olive” não tem um esteriótipo de miss) ela recebe uma ligação a convidando para participar da tal premiação. E aí não tem mais jeito. Carismática, ela convence a família a partir na velha van amarela de “Richard” rumo à Califórnia, local do concurso. E grandes aventuras não vão faltar…

O longa foi lembrado lembrado no Oscar 2007 na categoria “Melhor Filme”, assim como Abigail Breslin esteve entre as indicadas de “Melhor Atriz Coadjuvante”. Contudo, Alan Arkin levou a estatueta como “Melhor Ator Coadjuvante” e o roteirista Michael Arndt acabou tendo seu trabalho celebrado com o título de “Melhor Roteiro Original” da edição da festa.

 

 

Compartilhe: