Humanidade tenta reconstruir-se em novo sistema solar

“Interestelar” traz um show de conceitos físicos verídicos, cria outros e combina isso com uma comovente história de pai e filha. O longa promove diversas reflexões sobre o tempo, outras dimensões e sobre a Teoria das Cordas. E sim, ele é capaz de “quebrar” a cabeça de quem estiver assistindo. Característica sempre presente nos trabalhos do diretor Christopher Nolan. Clique aqui para assistir!

Em 2067, a situação da raça humana na Terra é crítica uma vez que pragas nas colheitas quase destruíram toda a civilização. “Cooper” (Matthew McConaughey) é um ex-piloto da NASA que vive em uma pequena fazenda ao lado de sua família. Sua filha”Murph” (Mackenzie Foy) de 10 anos acredita ter um fantasma em seu quarto tentando se comunicar. Só que na verdade eles descobrem que trata-se de uma forma de comunicação através de ondas gravitacionais e coordenadas binárias que apontam para uma área secreta da NASA.

Quem comanda o núcleo é o professor “John Brand”(Michael Caine). Em seguida, ele conta a “Cooper” que um buraco de minhoca abriu-se próximo a Saturno. E a agência se prepara para enviar uma nave espacial chamada “Endurance” para lá, uma vez que missões anteriores mostraram a existência de outro sistema solar ao sair do buraco de minhoca.

E definitivamente esta pode ser uma grande chance de sobrevivência da raça humana já que três planetas se mostram potencialmente habitáveis. São eles: “Miller”, “Edmunds” e “Mann”, nomeados assim em razão dos astronautas que trabalharam em suas descobertas.

Se liga no trailer de “Interestelar”: 

“Brand” então convida o ex-piloto para comandar esta missão rumo ao buraco de minhoca. E apesar do sofrimento da filha, “Cooper”aceita partir. Ao seu lado na “Endurance” estarão a bióloga “Amelia” (Anne Hathaway), o físico “Doyle” (Wes Bentley), além do cientista “Romilly” (David Gyasi). Também os auxiliarão na análise dos planetas os robôs TARS e CASE.

O longa é um verdadeiro espetáculo de imagens e sons. Por muito mérito venceu o Oscar na categoria “Melhores Efeitos Visuais” e Hans Zimmer repetiu a indicação na categoria “Melhor Trilha Sonora”.

 

Compartilhe: