Comédia brasileira é baseada em fatos reais

Rio de Janeiro, 1983. O Brasil comemora os anos finais da Ditadura Militar ao mesmo tempo que lamenta a alta inflação, e as incertezas da época. Baseado em fatos reais, “O Roubo da Taça” se passa justamente dentro deste contexto e nos conta de forma bem-humorada o sumiço da Taça Jules Rimet. Clique aqui para assistir!

Confira o trailer do longa “O Roubo da Taça”: 

 

A taça em questão foi vencida pela seleção brasileira em 1970, no México, após sagrar-se tricampeã do mundo de futebol. Posteriormente acabou roubada em terras cariocas por um grupo de banidos bem à brasileira. Atrapalhados, desesperados por grana e bem pouco confiáveis. Até entre eles mesmos.

Mas fato é: esses camaradas conseguiram entrar na sede da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e roubar a maior joia da FIFA do futebol mundial. “Peralta” (Paulo Tiefenthaler) e seu parceiro “Borracha” (Danilo Grangheia) têm ótima química e representam muito bem a falta de perícia desses assaltantes. “Dolores” (Taís Araújo) soma-se a dupla e é fator importante para o roubo.

O sumiço da taça, que passou pelas mãos de Pelé e outros tantos craques, de imediato calça um alvoroço. Com uma investigação em andamento e a imprensa atenta, a taça tem um destino inacreditável. Surpreendentemente, as mãos de um argentino chamado “Armando” (Fábio Marcoff) que tem como objetivo derreter o valioso objeto.

Conforme o roubo vai ganhando proporções maiores, as piadas com a gestão da CBF começam. E são retratadas de forma bem divertida no filme de Caíto Ortiz. “Como que a gente ganhou três Copas?” é a frase de Stephan Nercessian no trailer acima, e que demostra bem o clima do longa. O ator interpreta Giulite Coutinho, presidente da entidade na época.

 

 

Compartilhe: