Atriz começou ainda criança mas retomou a profissão em 2011

“Godzilla” (1954) fez bombar no Japão o gênero conhecido como Tokusatsu. Que nada mais é do que uma produção recheada de efeitos especiais chamativos. Mais de 60 anos depois, foi a hora de mais uma adaptação de enredo envolvendo o clássico monstro oriental. Clique aqui para assistir!

Elizabeth Olsen

A atriz é irmã das gêmeas Mary-Kate e Ashley. Por sinal, já dividiu diversas cenas em produções onde as irmãs famosas ganhavam maior destaque, claro. Mas o momento definitivamente é dela agora. Afinal está sendo analisada de perto pela crítica devido ao protagonismo em “WandaVision”.

Elizabeth Olsen em cena de "Godzilla" (2014)

Elizabeth Olsen em cena de “Godzilla” (2014)

Bryan Cranston

Carinha clássica de “Breaking Bad”, “Argo”, “Seinfeld”, “Malcolm” e tantas outros produções de sucesso dos cinemas da TV, Bryan Cranston também está presente neste filme sobre “Godzilla”. Não apenas presente mas com o papel central da trama. Ele interpreta o cientista “Joe Brody”. Seu personagem está diretamente ligado aos acontecimentos trágicos do filme uma vez que ficou marcado pela morte de sua esposa no Japão anos antes.

Pluralidade de gêneros

Se fosse preciso definir este filme e toda a saga de títulos já produzidos de “Godzilla”, talvez fosse necessário cravar um gênero apenas. Este gênero muito possivelmente seria ficção-científica. Só que um dos grandes atrativos aqui é justamente o mix de vieses que estas histórias trazem ao espectador. Ação, horror, desastres naturais, drama, comédia, etc. Em algum momento dos filmes é possível perceber esta complexidade. O lado que a história segue depende claro de seu diretor mas a sua natureza extensa foi retratado com êxito aqui mais uma vez.

Se liga no trailer dublado de “Godzilla”:

Efeitos especiais

Mais uma marca registrada de “Godzilla”: efeitos especiais. Seja os mais simples que foram utilizados nos anos 50, ou os mais sofisticados que estão em ação nos dias de hoje. E por mais que existam os que não são fãs do excesso, é evidente que não dá para elaborar um filme deste monstro japonês sem que os efeitos sejam caprichados, para dizer o mínimo.

Uma nova revisão da história clássica

Vilão ou herói será sempre uma pergunta que o monstro em questão despertará. Porém, a sinopse nos leva a uma situação inédita: a necessidade de que “Godzilla” enfrenta outros monstros pela ordem natural das coisas. Sua aparição inicial ocorrida na década de 50 deixou marcas na humanidade apesar das aparências. Uma dessas marcas foi o “Projeto Monarch”.

Confira outras notícias relacionadas:

Chadwick Boseman: cinco filmes para lembrar o ator

Compartilhe: