Antagonista veio de “Invocação do Mal 2” (2016)

“A Freira” foi lançado em 2018 como o 5º quinto filme da saga iniciada com “Invocação do Mal” (2013). Nos dois primeiros longas principais da franquia, acompanhamos os passos do casal Ed e Lorraine Warren, muito famosos nos Estados Unidos por suas investigações espirituais. Sendo assim, “A Freira” serve como um spin-off, como no caso de “Annabelle” (2014)Clique aqui para assistir!

Taissa Farmiga

A jovem que ganhou notoriedade a partir da primeira temporada de “American Horror Story” se destaca no filme. Ela dá vida a “Irmã Irene”, responsável por investigar os acontecimentos que abrem o longa.

Taissa Farmiga em cena de "A Freira" (2018).

Taissa Farmiga em cena de “A Freira” (2018)

Conexão

É importante ressaltar que a assombração “Valak” é elo que liga este filme a “Invocação do Mal 2” (2016). Os fãs da saga já haviam sido introduzidos a ele uma vez que foi a partir do casal que foi resolvido o polêmico caso do poltergeist de Enfield, em 1977. Mas existem outros easter eggs e um final que aumenta a ligação entre os filmes.

James Wan e humor

O diretor James Wan foi o responsável pelos dois primeiros filmes da franquia, e apesar de não ser o diretor oficial deste spin-off, ele também deu seus pitacos em algumas cenas em parceria de Corin Hardy. Seja como for, o resultado é um filme assustador mas também bem-humorado quando dá. Principalmente quanto às cenas do personagem “Frenchie” (Jonas Bloquet).

Se liga no trailer:

Sustos

Claro, as cenas de sustos precisam ser boas para que um filme desta consagrada saga se destaque perante os outros. E mais uma vez isso acontece com os bons personagens desta franquia. Quem assistir pode esperar encontrar um longa que entrega um ambiente sombrio e extremamente assustador.

Possibilidade de sequência

O filme não esconde a possiblidade de continuar o que começou neste spin-off. Foi o que acontece com “Annabelle 2: A Criação do Mal” (2017). É claro que tudo vai depender do que os futuros responsáveis farão para continuar a história, mas certamente o fato dos personagens serem muito bons traz boas expectativas.

Confira outras notícias relacionadas:

“O Farol” (2019) propõe terror psicológico em preto e branco

Compartilhe: