“Baú do Esporte” relembra momentos marcantes do craque

Habilidoso, carismático, polêmico, predestinado e multicampeão. Essas são algumas palavras que podem ser usadas para descrever Renato Portaluppi, ou Renato Gaúcho. Como jogador ele levou o Grêmio ao título Mundial Interclubes. Posteriormente quase repetiu o feito como treinador. Imortalizando assim seu nome na história do clube que se diz imortal. O “Baú do Esporte” relembra sua trajetória em um episódio especial. Clique aqui para assistir!

De fato, Renato fez muito pelo Grêmio. Mas se pudesse o torcedor escolher apenas uma imagem para representar essa idolatria, certamente seria escolhido um dos lances que resultaram em gols do camisa 7, diante do Hamburgo, na final do Mundial, em Tóquio. A data era 11 de dezembro de 1983, e Renato anotou um no tempo normal e outro na prorrogação. Só não fez chover pois fazia um dia de muito sol na capital japonesa.

Foto de Renato Gaúcho em jogo contra o Hamburgo, 1983.

Renato Gaúcho defendendo o Grêmio contra o Hamburgo na final do Mundial Interclubes

Ainda como atleta, o ponta fez mais. Jogou por Flamengo, Fluminense, Botafogo, Roma, Cruzeiro, e claro, passou pela seleção brasileira. Por um ato de indisciplina acabou cortado do grupo que jogaria a Copa do Mundo de 1986, no México. Antes, entretanto, foi um dos destaques do time treinado por Telê Santana nas Eliminatórias. Pela amarelinha ainda teve tempo de ser campeão da Copa América, em 1989.

Também estava no elenco recheado de craques do Flamengo, campeão brasileiro de 1987. Em 1995, fez o famoso gol de barriga na final contra o Flamengo quando já jogava pelo Fluminense. Encerrou a carreira no Bangu, em 1999. Em seguida apostou tudo na carreira de treinador. Após muitos altos e baixos, levou a Libertadores pelo Grêmio em 2017. Tornando-se assim o único brasileiro a vencer a competição como atleta e treinador.

Renato Gaúcho contra o Flamengo em 1995

Gol de barriga feito por Renato Gaúcho em 1995

Compartilhe: