“Galinho de Quintino” segue como o maior artilheiro do Maracanã

No momento em que praticamente todos os esportes estão parados devido à pandemia de coronavírus, o SporTV disponibiliza diversos episódios da série”Baú do Esporte” no NOW. São mais de 30 histórias emocionantes de diversas modalidades. Separamos então um capítulo especial para a maior torcida do Brasil. Vamos falar de Flamengo e especialmente de Zico. Clique aqui para assistir!

Arthur Antunes Coimbra nasceu em 3 de março de 1953 e para a torcida do Mengão este dia tem saber de Natal. Pois foi a partir de 1978, quando começou a chamada “Era Zico”, que o clube carioca passaria por uma fase extremamente vitoriosa. Este momento, que seguiu até meados dos anos 80, incluiria as duas mais importantes taças do Rubro-Negro: o Mundial Interclubes de 1981 e a Libertadores do mesmo ano.

A Fla TV mostra os gols de um jogo especial para Zico, em 1986:

 

Só que o craque foi além e ainda venceria mais títulos em uma segunda passagem pelo Flamengo, após uma transferência para a Itália. Ao todo foram 35 conquistas pelo time e 509 gols marcados. Mas o eterno camisa 10 da Gávea representa muito mais que apenas números. O jogador foi o principal símbolo de uma era onde o Maracanã era popular, existiam duas torcidas, bandeiras, e fogos nas arquibancadas. Até hoje Zico é o artilheiro máximo do estádio com 334 gols.

O craque nasceu no bairro carioca de Quintino Bocaiuva e por jogar com os cabelos compridos logo ganhou o apelido de “Galinho de Quintino”. Pela seleção brasileira seus feitos também são notáveis. Apesar de não ter vencido uma Copa do Mundo, Zico disputou as edições de 1978, 1982 e 1986 com a camisa amarelinha.  

Em meio aos títulos pelo Flamengo nos anos 80, o jogador partiu para uma aventura na Udinese-ITA. Para em seguida retornar ao time que o consagrou para mais conquistas. Nesse regresso ainda se lesionou gravemente em um jogo contra o Bangu e teve a participação no Mundial do México ameaçada.

Em 1991 seguiu para atuar no Japão como uma forma de popularizar o esporte no país oriental. E foi o que o “Galinho” conseguiu com muitos gols e carisma vestindo a camisa do Kashima Antlers. O “Baú do Esporte” recorda com carinho essa passagem. Zico encerrou definitivamente a carreira no ano de 1994.

Compartilhe: