Reality busca falhas nos presídios

Certamente a premissa de “60 Dias Infiltrados na Prisão” é uma das mais interessantes dos últimos tempos. Afinal, são sete pessoas inocentes presas voluntariamente por 60 dias nas mais variadas penitenciárias dos Estados Unidos. Tudo isso começou como uma estratégia para detectar falhas e acabou como um reality transmitido para mais de 100 países. Clique aqui para assistir! 

O xerife Jamey Noel foi quem teve a ideia de monitorar assim a Penitenciária do Condado de Clark, em  Jeffersonville, Indiana. E é por lá que se passam as duas primeiras temporadas enquanto que a leva de episódios das seguintes focam na Penitenciária do Condado de Fulton, Atlanta.

Poster do reality "60 Dias Infiltrados na Prisão"

Poster de “60 Dias Infiltrados na Prisão”

A tarefa é inegavelmente perigosa pois praticamente ninguém em sã consciência ficaria confortável em ludibriar um criminoso. Ou mesmo uma gangue deles. Não se esqueça, o objetivo do voluntário é detectar falhas no sistema carcerário que possam facilitar ações como tráfico dentro dos presídios.

Na maioria das vezes os participantes ganham um nome falso, uma acusação criminal completa para estar ali, assim como uma ficha com antecedentes. Tudo para que o disfarce não caia por terra antes da hora. Guardas e funcionários do local também estão inclusos no grupo de pessoas que não sabem de nada do que se passa ali.

O programa evidentemente gerou e ainda gera muita polêmica em virtude das condições em que os presos são expostos na televisão e mesmo os riscos apresentados ao voluntários. Mesmo assim, o reality “60 Dias Infiltrados na Prisão” contém seis temporadas completas e possibilidade real de não acabar por aí.

Confira um trecho de “60 Dias Infiltrados na Prisão”:

 

 

Compartilhe: